Dicionário mineirês-português

Este pequeno dicionário é dedicado aos meus amigos, não mineiros, com o intuito de melhorar a nossa comunicação:

Antisdonte: Em algumas regiões de Minas pronuncia-se ÃNSDIONTI .- o mesmo que “antes de ontem” . “Antisdonte eu vi a Lindauva. Tava uma belezura, a minina”.

Arreda: v.i. 1. Verbo na forma imperativa (dânnu órdi), paricido cum “sair”: Arreda prá lá, sô!

Belzont: s.p. 1. Capitar das Minas Gerais.

Beraba e Berlândia: s.p. 1. Cidades famosas do Triângulo Mineiro. Diz qui tem uma ôtra famosa que cumeça cum “B” e acaba com “raguari”, lá prá ‘quelas banda! O pessoar da capitár nunca sabe se a turma de lá é minerin ou não. Daí fica dizendo que é terra dos triangulinos.E óia que o povo di lá inté acha bão…

Cadiquê: (?! ) Na forma erudita: CAUSDIQUÊ – mineirin tentânu intendê o pruquê d’arguma coisa… ‘Por causa de quê?’,

Confórfô eu vô: p.q.p. 1. Conforme for, eu vou.

Dendapia: dentro da pia. Ex: ” Muié, o galo tá dendapia”.

Deu: o messs qui “di mim”. Ex : ” – Larga deu, sô !”

Deusdi😮 messs qui “desde”. Ex: ” – Eu sou magrilim deusdi rapazín !”

Deusdiqui: prep. 1. Desde que: Eu sou magrilin deusdiqui eu era muleque!

: o messs qui “pena”, “compaixão” : “Ai qui dó, gentch…!!!”

Dôdestombago: o mesmo que DODESTONGO. (dor de estômago) “Essa danada da minha úrsera dá uma baita dôdestombago.”

Embadapia: Debaixo da pia. Ex.: Muié, ele agora tá embadapia.

Émezzz: (?) adj. 1. Minerin dimirado do que contaro pr’ele. Podi tá querêno tamém cunfirmá arguma coisa.

Espia: s.p. 1. Nome da popular revista VEJA quando chega na distante e pequena cidade do minerin.

Estaçã: s.m. 1. Onde desembarcam os minerin com suas malas cheias de queijo.

I: conj. 1. E: Minino, ispecial, eu i ela, vistido.

In: v.t.i. 1. Forma diminutiva: Piquininin, lugarzin, bolin, vistidin, sapatin etc….

Intorná: g.g. 1. Quando não cabe na vasilha. 2. Derramar.

Jizdifora: p.d.s. 1. – Cidade minera pertín do RidiJanero, lá prás banda da Vinida Brasil nº 500.000. O pessoar da capitár nunca sabe se a turma de lá é minerin ou carioca. Daí fica dizendo que é terra dos carioca du brejo.

Kidicarne: medida empregada na comercialização de carne – quilo de carne – quinze kidicarne = uma arroba

Kinem: k.b.lo 1. Advérbio de comparação – igual: Ela saiu bunita kinem a mãe.

Lidileite: Litro de leite.

Magrilin: p.d.v. 1. Indivíduo muito magro.

Mastumate: Massa de tomate

Minerin: (pop.) ou MINEIRIN (forma clássica) – Nativo duistádimínass. Típico habitante das Minas Gerais.

Montes Claros: p.d.s. 3. – Cidade minera pertín da Bahia, lá prás banda do Norte das Minas Gerais. O pessoar da capitár nunca sabe se a turma de lá é minerin ou baianin. Daí fica dizendo que é terra dos baianos cansado, sabe… Aqueles qui num deram conta de chegá em SumPaulo, daí pararo no mei do caminn.

Negocin: p.ludo 1. Qualquer coisa que o minerin acha pequeno.

Némêss: (?) – Minerin quereno qui ocê concordi c’ás idéia dêle…

Nimim: o messs qui “em mim”. Exempro: “- Nóoo, cê vive garrádu nimim, trem !…Larga deu, sô !!…

NNN: p.o.p. 1. Gerúndio do minerês: Brincannno, corrennno, innno, vinnno.

Nóoo: num tem nada a ver cum laço pertado, não ! É o mess qui “nossa!!” …Vem di: Nóoossinhora !…

Némermo: (?) z.bra. 1. Minerin procurando concordância com suas idéias. Os cariocas aproveitaram a expressão para criar o famoso “Né mermo, irmão?” com variação para o “Né mermo, brother?”.

Num: NÃO ã.h. 1. Advérbios de negação usados na mesma frase: Num vô não. Num quero não. Num gosto não.

Óiaí: x.x. 1. Olha aí, ó, toma…

Óiaqui: a.b.c. 1. Minerin tentando chamar a atenção para alguma coisa.

Oncotô: (?) – .h.j. Expressão de dúvida. Empregada constantemente quando o mineirim vai pra capitar, ou intão pra SumPaulo. (Onde que eu estou?)

Onquié: br. Int. .É quan nois num sabe pronde é qui nóis vai. (Onde que e?)

Óprocevê: (!) – j.t..Mineirin dimirado cum arguma coisa! (olha pra você ver!)

Ostrudia: n.x. variação: ASTRUDIA . É quan um mineirim num qué fazê arguma coisa hoje (outro dia). “Ostrodia nóis vai, cumpadre!”

Pão di queijo: k.h.1. – Ísscêis sabe ! Cumida fundamentar na mezz minêra e que disputa c’o tutú a nosss preferênça

Pelejânu: O mess qui tentânu: ” – Tô pelejânu qü’ esse diacho né di hoje!

Pincumel: pinga com mel “Si ocês tá cumeçano a constipá, toma logo uma pincumel que é prá mode sarar”

Pópôpó: (?) – h.xá 1. A mineirinha ajudando ao marido fazer café.

Pópôpoquin: o.d.d. 1. Resposta afirmativa do marido.

Prestenção: é quan’um mineirin tá falano mais cê num tá ouvino.

Procê: o mess qui “pra ocê”.

Proncovô: (?) – É quan nóis inda num discubriu pronde é qui nóis vai e tá quainahora. (para onde que eu vou?)

Quainahora: t.p. Expressão que indica que o mineirm está ficando atrasado: Si nois num apertá a marcha nóis vai chegá dispois do casório.(quase na hora)

Qui Belezura: p.d.t. 1. Expressão que exprime aprovação; quando gostou de alguma coisa.

Quiném: advérbio de comparação. Ex: “É bunita qui dói. Quiném a mãe !”

Sapassado: m.p.b 2 – Sábado Passado.

Secetembro: Dia em que se comemora a independência do Brasil.

: fim de quarqué frase. Qué exêmpro tamém ? : Cuidadaí, sô !!…

Tirisdaí: É quan um trem tá travessado bem in frente di nóis: Ex Tirisdaí minino! Tá travancando o caminho. (tira isso dai)

Tradaporta: atrás da porta – Receita mineira: “Si a visita si isqueceu de tomá rumo de casa, cês põem a vassora tradaporta qui num instantim ela vaimbora”.

Trem: s.b.p. 1. Palavra que não tem nada a ver com transporte, e que quer dizer qualquer coisa que o minerin quiser: Já lavô us trem? Eu comi uns trem. Vamo lá tomar uns trem? Qui trem é esse atrás d’ocê?

Triango minero: m.p.b. 1. Triângulo Mineiro.

Trósso: s.b.p. 1 É quiném trem

Tutu: t.u.m. 1. – Mistura de farínn di mandioca cum feijão massadím e uns temperin lá da horta. Bão dimais da conta !…

Tii: v.i.g.i. 1. O irmão do pai ou da mãe: Mulher do tii é a txiiiiaa.

Uai: u.a.i. 1. – Corresponde a “UÉ”, dos paulistas. Melhor Definição: “Uai é uai,…uai !”

Varge: e.l.a. 1. – Aquele legume verde rico em fibras. Serve tamém pra dizê daquelis lugar nos pé de morro ondi fica chei d’água no chão e que o pessoar usa pra prantá arroz: (Várzea)

Varginha: p.d.s. 2. – Né Varge piquinininha não, viu gente? É uma cidade minera pertín de Sum Paulo. O pessoar da capitár nunca sabe se a turma de lá é minerin ou paulista. Daí fica dizeno que é terra dos parlista frustrado.

Vidiperfum: . s.b.p.3. É donde se guarda aquelas água de chero. (vidro de perfume)

Agora teste seus conhecimentos traduzindo o texto abaixo:


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s