Resenha: O Símbolo Perdido

Mais uma aventura escrita por Dan Brown e protagonizada por Robert Langdon, desta vez na capital americana, envolvendo a comunidade maçônica e todos os seus mistérios, que se mistura com a história dos Estados Unidos (poderia dizer do mundo inteiro?).

Fórmula básica de Brown: Robert Langdon, simbologia, uma sociedade secreta, uma mulher bonita e uma cidade rica historicamente. Depois de “O Código da Vinci”, “Anjos e Demônios” e “Fortaleza Digital”, este último o pior de todos, fica fácil identificar o perfil do escritor e ter dúvidas se realmente vale a pena gastar algumas horas com mais um repeteco. Eu me arrisquei.

O Símbolo PerdidoInfelizmente o que eu li foi mais do mesmo, ou nem tanto, já que “O Código da Vinci” e “Anjos e Demônios” são, em alguns momentos, empolgantes. “O Símbolo Perdido” nem chega a isso. A espera pelo clímax se torna frustrante, os desfechos são mal arranjados e tudo acaba como começou: sem sentido.

Os fãs de Dan Brown podem ficar irritados com esta resenha, mas o fato é que a história não acrescenta nada, nem mesmo a enfatização aos mistérios maçônicos, que não sei até que ponto são tão misteriosos.

Acrescenta-se a isto o fato de que eu tenho minhas restrições quanto à maçonaria, por total falta de conhecimento mesmo.

Mas nos atemos ao enredo. Que a maçonaria está presente em muitos episódios da nossa história é um fato e que os americanos gostam de enxergar intrigas em qualquer lugar também. O que mais impressiona é que, como eu, a maioria é ignorante sobre o assunto e, por conta disso, elaboram as mais fantasiosas ideias de conspiração em torno da instituição. Um pouco de estudo pode mostrar o quanto as pessoas podem estar erradas em considerar a maçonaria uma sociedade secreta. Pior de tudo, considerar como verdade tudo que dizem contra ela. As próprias personagens do livro agem desta maneira, a tal ponto de ser cômico.

Tentei durante dias encontrar algo interessante que valesse a pena destacar, mas não encontrei. Nenhuma lição de moral, nenhum desfecho surpreendente, nada a não ser mais Dan Brown e seu estilo literário.

A sensação que eu tenho ao escrever este artigo é que não tenho nada a dizer sobre o livro, ficou tudo muito vazio. Confesso que esperava um pouco mais.

Minha avaliação: 2

Anúncios

50 fatos sobre mim

Este meme está rolando no Youtube. Eu não sou muito fã de vídeos, nem de assistir, quanto mais de fazê-los, e também não sou fã de memes, mas eu gostei desta ideia e resolvi aderir, mudando um pouco e, ao invés do vídeo, vou postar aqui no blog.

Quer me conhecer um pouco mais? Vamos lá:

  1. Nunca pintei o cabelo.
  2. Não gosto de ganhar flores.
  3. Prefiro chocolate amargo ou meio amargo.
  4. Sei tocar clarinete e fui membro durante anos da banda/lira da cidade. Dobrados em coreto, coisas de Minas.
  5. Quis estudar no conservatório, mas acabei virando técnica em eletrônica.
  6. Adoro jogar vôlei, jogava em um dos times de Cachoeira, mas parei quando me mudei para estudar eletrônica.
  7. ADORO dormir e fico de mau humor quando tentam me acordar. Mas não gosto de IR dormir, estico o dia até quando posso.
  8. Minha profissão é perfeita! Faço o que gosto. Programação sempre foi minha paixão, independente da linguagem.
  9. Sempre gostei de computador. Foi amor à primeira vista.
  10. Não sou vaidosa, mas sou feminina.
  11. Adoro ler. Se quer me agradar, me dê um livro.
  12. Sou apaixonada por Machado de Assis, Lima Barreto e outros autores clássicos. Mas não enlouqueci a ponto de gostar de Graciliano Ramos. Também adoro Drummond.
  13. Gosto de tudo que é de limão: torta, sorvete, limonada, como tempero em saladas. É um ótimo tira-gosto para cerveja. Gosto até puro.
  14. Falando em cerveja: detesto! Só tomo em turma para fazer o social. Prefiro um bom vinho ou uma bebida destilada, moderadamente.
  15. Adoro comida mineira: tutu de feijão, leitoa, polenta, frango caipira (nhammmm).
  16. Adoro festa junina e suas comidas típicas: canjica doce, salgada, amendoim, caldinho de feijão, pastel de farinha de milho.
  17. Não tenho medo de experimentar novas comidas. Acho divertido.
  18. Já pensei em ser psicóloga. Agora estou tentada a fazer farmácia.
  19. Meu sonho de infância era trabalhar em banco para mexer com dinheiro, sentir o cheirinho, rs.
  20. Pensei em fazer bacharelado em Matemática. Desisti por achar que não encontraria trabalho (ou por ter substituído a paixão pela computação, não sei bem).
  21. Gosto de filmes e seriados, preferencialmente policiais ou que tenham algum tipo de mistério e ação.
  22. Quase morri afogada duas vezes. De teimosa, fui para um lugar na piscina onde não dava pé. Me salvaram a tempo.
  23. Meu sonho era atravessar a ponte do rio Sapucaí Mirim sobre a mureta de proteção. Nunca tive coragem.
  24. Tenho pavor da língua inglesa. Me dá nervoso toda vez que tenho que ler um texto e acabo me enrolando toda.
  25. Quero fazer muitas tatuagens, mas todas pequenas. Um amigo me disse uma vez que eu ia ficar parecendo uma revista em quadrinhos. 😀
  26. Gostaria de experimentar esportes radicais. Alguém me convida?? rs.
  27. Tenho mania de perfeição. Me acho melhor leitora do que escritora (coitados dos meus leitores, rs). Sempre acho que o que está feito pode ser melhorado, mas tenho procurado melhorar isso.
  28. Adoro rock. Minha estreia em shows internacionais foi no Morumbi, em 2011, Roger Waters com The Wall.
  29. Tenho roupas que uso há pelo menos 15 anos (pasmem!), principalmente moletons.
  30. Detesto experimentar roupas e entrar em lojas. Se olho a vitrine e gosto do modelo, entro, peço meu número e mando embalar (já entrei no provador e fingi experimentar de tanto que a vendedora insistiu).
  31. Adoro exercícios físicos, mas detesto academia.
  32. Sou religiosa, apesar de não frequentar uma igreja há anos. Fui criada na cultura evangélica numa época em que isso era novidade.
  33. Tenho muita paciência, menos com a família (feio, eu sei).
  34. Gosto mais de montanha que de praia. Quando vou à praia, raramente tomo banho de mar.
  35. Prefiro o inverno ao verão. Acho que as pessoas são mais elegantes neste período.
  36. Adoro dirigir, mas morro de medo! Já superei grande parte dele, mas ainda fico apreensiva quando pego um carro. Nos primeiros minutos, depois relaxo, ainda mais com uma música bem alta.
  37. Morro de vontade de ser loira platinada, ruiva, morena, enfim, virar uma camaleoa. Só que sou preguiçosa para dar manutenção.
  38. Sou uma péssima dona de casa.
  39. Não gosto de cozinhar, a não ser que seja um prato que eu goste e, principalmente, que seja fácil.
  40. Dou preferência às saladas e posso dispensar as carnes.
  41. Não deixo que ninguém cuide das minhas roupas, eu mesma lavo e passo.
  42. Há pelo menos 16 anos nenhuma manicure cuida das minhas unhas. Faço tudo sozinha e não tiro cutículas.
  43. Comecei a gostar de maquiagem há pouco mais de dois anos. Antes era só o básico mesmo: base, rímel e batom.
  44. O dia que aprender a cortar meu próprio cabelo, vou ser a mulher mais feliz do mundo.
  45. Estou há um ano e meio sem cortar os cabelos. Sim, eles são enormes! De preguiça mesmo.
  46. Sou uma pessoa muito crítica, por isso seleciono muito as pessoas e tenho poucos amigos.
  47. Quero viajar e conhecer todo o Brasil.
  48. Nunca viajei para o exterior.
  49. Nunca andei de barco/navio (não conta a balsa da Lagoa Marapendi, na Barra da Tijuca), nem de avião e helicóptero. Mantenho meus pés firmes na terra, rs.
  50. Sonhava em morar na Áustria, mas a Alemanha ou a Inglaterra também servia.

Achei que seria mais difícil, mas até que foi tranquilo. Obviamente tem muito mais sobre mim do que eu pude passar. Sou uma pessoa bem complexa, admito, ficou bem superficial.

Espero que tenham gostado!