Parabéns Cachoeira de Minas

Minha terrinha faz hoje (01/06) 87 anos de emancipação política. Terra boa, de gente boa e de comida boa. Apesar de estar próxima, sinto muita falta de lá, da tranquilidade, dos passeios pelas ruas, da ventania.

Cachoeira de Minas já foi tema de muitas músicas, uma inclusive chama-se 1º de Junho. Não me lembro dela inteira, mas o refrão era assim:

(…) Piraquara do Sapucaí
Caboclinha de Minas Gerais
Caboclinha bem brasileira, mineira, uai
És de Minas Gerais. (…)

O hino da cidade, como não poderia ser diferente, canta o orgulho que sentimos por nascermos numa terra tão abençoada:

(…) És a estrela formosa que esplende
E o teu povo se orgulha de ti
Desde que Inácio da Costa Rezende
Fez-te às margens do Sapucaí

Zé Helder, cantor de música de raiz, um dos filhos da cidade, canta a cidade em seus versos:

No rio em que eu aprendi a nadar, oi
Tinha mandi que se pegava no tapa
Eu aprendi a nadar foi no Sapucaí Mirim
Em Cachoeira de Minas
Eu aprendi a nadar, oi
Em rio que se pegava mandi a tapa
Eu aprendi a nadar
Foi no Sapucaí Mirim em Cachoeira de Minas
Mas o mandi foi-se embora
Subiu para desovar, não voltou
Um ralador de mandioca
Foi quem meu rio envenenou
Manipueira!
É veneno, mata os peixes, fede mais que
um jatobá
Manipueira!
Pega essa sua mandioca e vai ralar em outro lugar

Para fechar, obviamente, não poderia faltar um por do sol maravilhoso, que me faz pensar todos os dias nos bons momentos que tive por lá, e que espero brevemente tê-los em demasia.

Por que “Catadupas”?

Catadupas: fem. plu. de catadupa – [Do gr. katadoúpa, pelo lat. catadupa]. S. f. 1. Queda de grande porção de água corrente;  queda d’água; salto. 2. P. ext. Jorro, derramamento: “Falava como todos nós falamos; não era já nem sombra daquela  c a t a d u p a  de ideias, de imagens, de frases, que mostravam no orador um poeta.” (Machado de Assis, Páginas recolhidas, p. 50) – Em catadupas. Em grande quantidade: Zangado, os palavrões saem-lhe em c a t a d u p a s.

A escolha pelo nome do blog nem é pela definição do Aurélio, mas sim para fazer uma homenagam à minha cidade natal, Cachoeira de Minas, que um dia se chamou Catadupas. Uma forma de agradecimento pelos bons momentos que passei por lá e que espero ainda passar.

Estou de mudança de endereço virtualmente, até hoje mantinha o Virtualizando [thaisrezendeb.blogspot.com], talvez ainda mantenha, por ter sido meu primeiro blog. Mas não tinha muita personalidade, nem um nome definido, o que me incomodava muito. Ele passou por uma remodelagem, graças à minha amiga Carina (ok, Cah, eu nunca sei qual é o seu blog número 1, nem sei se tem, vai esse mesmo). Acho que agora vou precisar de uma ajudinha com esse.

Aos poucos vou fazendo deste blog um pouco de mim, divagar sobre alguns assuntos, questionar outros, lamentar. O objetivo é ter onde expor um pouco do que fica guardado em mim, extravasar sentimentos e me permitir ter um amigo mais que fiel (e que fique calado, pelo menos até que venham os comentários).

Não tenho compromisso com uma área específica, não quero me prender em um blog de tecnologia, política ou esporte. Um pouco de cada um deles, talvez atualidades, literatura, um pouco de mim.

Espero ver você por aqui mais vezes. Até a próxima!